Grey’s Anatomy [SPOILER]

Bom dia meninos e meninas, a série destaque da semana é “Grey’s Anatomy” que no episódio 18, da última quinta-feira, nos envolveu em uma emoção tão única e arrebatadora que escrevo este post chorando, mais uma vez, já que depois que assisti só tenho feito chorar.

Grey’s é inigualável no quesito emoção, é uma coisa absurda as lágrimas que essa série já me arrancou. Não é aquela emoção normal, que escorre uma lágrima no canto do olho, não. É um choro compulsivo, sofrido, que rasga o peito, lava a alma, trás ao mesmo tempo angústia, inquietação e te toma de paz.

Eu termino episódios, como o 18, mandando mensagem pras pessoas que eu amo, abraçando quem está perto, mais intensa nas minhas relações e na forma de expressar o amor. O mais maravilhoso é que Grey’s é recorrente em despertar esses sentimentos e sempre acontece de uma maneira nova, surpreendente e normalmente muito sofrível.

tumblr_onpnkbw00I1qg9raso6_250Maggie já chegou na série me conquistando, ela não trás consigo o lado obscuro e sofrido que todos os outros personagens carregam. A bagagem dela é leve e isso reflete no seu jeito doce de amar, sua paciência e perseverança para apoiar e sua sutileza em se fazer presente. Maggie é dócil, ingênua, doce e muito fofa.  E eu amo ver como ela encaixa perfeitamente no meio da Amélia e da Mer, que são extremamente o oposto disso.

2017_3_30_876695d3-4c7b-4016-ad63-f0574ceae6e8_png_1920x1080 (1)As três formam um trio equilibrado e maravilhoso, de suporte, amor e apoio que me encanta e emociona. Eu vi muito mimimi com relação a forma que a Maggie falou com a Mer no episódio e não entendi o motivo, primeiro porque a Mer é, muitas vezes, bem dura com quem ela ama, principalmente quando ela está machucada, acuada, assustada. Segundo porque, diante de tudo que a Maggie estava enfrentando, acho plausível dar a ela uma colher de chá, tanto que a própria Meredith permaneceu ao seu lado, sem se sentir ofendida ou buscando um pedido de desculpa.

tumblr_onnvl9Dp7v1qg9raso5_250Outra coisa que se questionou muito foi a forma como Maggie lidou com a doença da mãe e eu, particularmente, achei incrível! Grey’s tem uma coisa que amo que é, apesar de retratar a vida de médicos completamente geniais, a série sempre tenta mostrar que a dignidade, a vontade e a qualidade de vida do paciente não podem ser maiores que o avanço da medicina e/ou a capacidade do médico.

As decisões médicas são sempre levando em conta o bem estar do paciente e eles sempre estão amparados de uma equipe que os ajudam a não se perder no “complexo de Deus” dos médicos, para que as decisões sejam tomadas com o único e principal objetivo de atender as reais necessidades do paciente.

maxresdefaultEu acho muito complexo que vivemos em um momento de tanto avanço da medicina que, muitas vezes, os médicos não lutam para que um paciente possa viver, mas pra que ele não morra, que são coisas bem distintas. Porém, o que foi belissimamente retratado nesse episódio, que esse raciocínio lógico é muito mais complicado quando se trata de alguém que amamos.

Sempre falei que não quero submeter ninguém que eu amo a uma vida em estado vegetativo, porque acho egoismo, já que a pessoa não tem chance de recuperação e está ali porque, na verdade, a medicina avançou demais, e permite que eu não precise me despedir.

Porém a única vez que alguém que eu realmente amo chegou perto de precisar tomar essa decisão minha opinião mudou, porque o amor nos cega, nos confunde o julgamento, nos tira a lógica!

tumblr_ono3vxnX0P1qg9raso6_250Maggie é médica, é brilhante, inteligente e sempre buscou que seus pacientes tivessem qualidade de vida, mas ali, naquela cama, estava sua mãe, a mulher que ela ama acima de qualquer coisa, é outra conversa, outra história!

Ela não interferiu no tratamento como médica da mãe, ela interferiu como filha, pesquisando, lutando por tratamentos que ela sabia que eram possíveis tentar. Ela lutou bravamente por alguém que ela ama! Quem faria diferente? Quem conseguiria decidir diferente diante daquela dor? Daquele medo de perder? Diante da despedida eminente? Diante da certeza do fim?

Eu achei muito sensível e real a forma como se deu o desenrolar do episódio e a aceitação de que o melhor para sua mãe era descansar. Assim como na vida, precisa de tempo para vivenciar a dor, a perda, o luto. Ela levou o tempo dela e foi maravilhoso ver ela terminando de pintar as unhas da mãe, já falecida, terminando aquele tempo das duas, vivenciando a despedida no tempo dela, só elas, sem interferências.

tumblr_onnnm1TGfZ1qbfy4fo2_500Mais uma semana Grey’s nos tirou da zona de conforto, sacudiu com nossas convicções e nos mostrou que quando existe amor a gente sempre encontra o caminho, a gente sempre sobrevive a dor, por pior que ela seja. Quando é de verdade a gente cala a nossa vontade para que o outro possa ter a dele. Quando é família a gente engole o orgulho e se levanta para estar lá, do lado, quando é preciso se estar. E principalmente, que para viver a vida e sobreviver a todos os desafios é preciso NÃO TER MEDO!

Até semana que vem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s